Guardanapo de pano versus guardanapo de papel

Atualizado: 4 de mar. de 2021

“A sustentabilidade de um produto não se avalia só pelas atividades envolvidas no processo de fabricação, mas por todo o seu ciclo de vida desde suas matérias primas, recursos naturais utilizados até o próprio descarte e capacidade de reutilização desse material.”

Quando falamos sobre hábitos sustentáveis, a adoção de alternativas com um menor impacto ambiental é o primeiro passo, assim qual a melhor escolha para a adoção do guardanapo de pano ou a contínua utilização do guardanapo de papel? Vamos falar sobre isso!? Você já parou pra pensar quantas vezes por dia usa um guardanapinho de papel e o joga fora? Temos o hábito de usar ele para tudo: depois ou durante uma refeição, carregá-lo na bolsa para a utilização depois do lanche ou, até mesmo, para uma higiene rápida das mãos. Os guardanapos de papel são descartáveis e, para produzi-lo, muita matéria-prima é utilizada. O papel é produzido a partir da celulose extraída de árvores, água e todo o processo conta com o auxílio de máquinas que utilizam muita energia elétrica, além da emissão de CO2 na atmosfera. Segundo o Instituto Akatu, para produzir 1 kg de papel virgem, 540 litros de água são necessários. A indústria do papel é uma das que mais usam os recursos hídricos e é a quinta que consome mais energia no Brasil. O eucalipto e o pinheiro são as principais árvores para a fabricação do papel.O que garante a resistência do papel são as pontes de hidrogênio entre as moléculas de celulose e o que viabiliza o processo da reciclagem são processos de impermeabilização que afetam essas pontes. E o problema dos guardanapos de papel não é a sua matéria-prima, mas o seu destino final: papéis engordurados são considerados contaminados para o processo de reciclagem.

Vale ressaltar que o guardanapo de papel tem uma grande vantagem: ele é compostável! Devido ao uso de fibras naturais, sua biodegradação e compostagem é mais eficiente, criando um sistema de descarte natural também sustentável. Então vale uma pergunta para você leitor: você composta o seu lixo?

O problema é que fora de casa, o guardanapo de papel, provavelmente, não vai para a composteira, especialmente se você joga ele no lixo comum. Então, a melhor opção é evitar ou diminuir o uso. A dica é levar com você um guardanapo de pano, que pode ser feito de tecidos recicláveis, de material 100% algodão ou utilizar a flanela ecológica ( feita de algodão reciclado e garrafa PET). Você coloca um na mochila, um na bolsa e pronto. Pode utilizar quantas vezes quiser e ao final do uso, lavá- lo na máquina com algumas peças de roupa ou uma lavadinha rápida com sabão na pia. Em resumo, apesar do guardanapo de papel, durante seu processo de produção possuir um impacto maior ao meio ambiente, ele possui a facilidade de, ao final do seu uso, ser compostado. Já o guardanapo de pano pode ser feito de qualquer tecido. A melhor opção mesmo o paninho de algodão que você já tem em casa. Ele pode ser utilizado diversas vezes, mas deve ser lavado, passado a ferro quente e dobrado, para seu uso novamente. Assim, uma dica válida é: o produto com menor impacto depende do seu usuário. Repense a utilização do guardanapo em si, seja ele de papel ou de pano, quantas vezes ele se torna necessário para você, e qual a destinação final ele terá.

68 visualizações0 comentário