Mergulho profundo em monômeros plásticos, aditivos e auxiliares de processamento

Por Déborah Alvarenga


Processo da pesquisa / Foto: reprodução - pubs.acs.org


Muitas substâncias químicas usadas na produção de plástico podem ser liberadas ao longo de todo o ciclo de vida desse material, colocando riscos para a saúde humana, o meio ambiente, e os sistemas de reciclagem. Apenas um número limitado dessas substâncias foi amplamente estudado. Por conta disso, os pesquisadores Helena Wiesinger, Zhanyun Wang e Stefanie Hellweg investigaram monômeros plásticos, aditivos e auxiliares de processamento no mercado global com base em uma revisão de 63 dados industriais. No total, identificaram mais de 10.000 substâncias relevantes e as categorizaram com base em tipos de substâncias, padrões de uso e classificações de risco, sendo por volta de 2400 delas substâncias de preocupação potencial.


Método

Esse estudo foi dividido em 4 etapas principais:

(1) identificação de fontes de dados relevantes;

(2) inclusão de substâncias relevantes e informações;

(3) categorização dos tipos de substâncias e padrões de uso;

(4) identificação de substâncias de potencial preocupação.

Após essas etapas, foi realizada uma quinta etapa, relacionada à garantia de qualidade e ao controle de qualidade.

Resultado

O resultado mostra que substâncias com 10'547 ativos CASRNs (sigla para “resumos dos números de registro de serviços químicos”, em inglês) foram identificadas, principalmente com alta confiança em seu uso. Mais de 25% das substâncias são misturas e polímeros, enquanto quase todo o resto são compostos individuais. Felizmente, a maioria das substâncias tinha informações sobre seu uso ou status de registro em regiões específicas (>90%), seguido por volumes de produção (70%), funções (69%), e qualquer relato de classificações de risco (61%). Contudo, ainda persistem lacunas importantes de informação e cerca de 3% delas não tinha qualquer informação que não fosse seu nome químico.

Naturalmente, as substâncias podem cumprir várias funções (em média, duas a três funções), serem usadas em vários tipos de polímeros (particularmente em tipos de polímeros semelhantes, como poliolefinas) e serem usadas em vários setores industriais. Além disso, as classificações de risco relatadas estão disponíveis para cerca de 6.400 substâncias (61%), enquanto cerca de 4.100 substâncias (39%) não possuem classificações de risco relatadas nas bases de dados regulatórias consideradas (nível desconhecido de preocupação). Cerca de 53% das substâncias de preocupação potencial não são sujeitas a qualquer tipo de medidas de gestão sob um ou mais dos regulamentos considerados neste estudo.

Estas 10.000 substâncias identificadas ainda podem ser um número menor do que o total de substâncias presentes em plásticos, pois há uma falta geral de transparência em relação a substâncias presentes em plásticos, além de nem todos os dados no domínio público serem facilmente acessíveis e processáveis. Porém, apesar deste estudo se concentrar em monômeros plásticos, aditivos e auxiliares de processamento, muitas das lições aprendidas também podem ser usadas para melhorar o gerenciamento geral de produtos químicos. Algumas delas são:

(1) Estabelecer uma Base centralizada de conhecimento;

(2) Garantir a transição para uma segura e sustentável Economia Plástica Circular;

(3) Ampliar e harmonizar os esforços regulatórios.


Assim, para a transição para uma economia plástica circular sustentável, que evita o uso de produtos químicos perigosos, esforços conjuntos de todas as partes interessadas são necessários, começando pelo aumento da acessibilidade das informações. Você pode ler a pesquisa completa clicando aqui.


Referências


Environmental Science and Technology. WIESINGER, Helene et. al. Deep Dive into Plastic Monomers, Additives, and Processing Aids. Disponível em: https://pubs.acs.org/doi/pdf/10.1021/acs.est.1c00976. Acesso em: 15/10/2021


8 visualizações0 comentário