Grandes empresas em: embalagens tradicionais ou alternativas

Atualizado: 5 de mar. de 2021

Por Rebecca Henze


Ao longo dos últimos anos, a onda sustentável vem crescendo cada vez mais. Com isso, algumas das gigantes multinacionais começaram a tomar atitudes mais significativas para diminuir seus impactos ambientais. Coca-Cola e Ambev são exemplos de empresas que já buscam adotar estes métodos, incorporando um método mais verde na produção de suas embalagens.


Coca-cola


A gigante dos refrigerantes anunciou em 2017 seus primeiros planos de modernização sustentável, a Avançamos. Agora, atualizando o projeto para 2025, a Coca-Cola já decretou suas metas: recolher e reciclar o equivalente a 100% das garrafas ou latas que vende, bem como garantir que todas as suas embalagens sejam 100% recicláveis ​​e que as suas garrafas de plástico contenham, pelo menos, 50% de PET reciclado. Essas ações foram direcionadas às unidades da Europa Ocidental, e resumem seus objetivos em recolher, reciclar e reutilizar as embalagens produzidas.


Imagem da primeira garrafa de Coca-Cola feita de plástico marinho recuperado e reciclado - Fonte: Coca Cola Portugal


Além disso, em 2020 a multinacional anunciou o protótipo de uma garrafa de papel que estaria em desenvolvimento em conjunto com a startup dinamarquesa Paboco (The Paper Bottle Company). Stijn Franssen, gerente de inovação em embalagens de P&D da Coca-Cola, afirmou para o mercado EMEA que: “O nosso objetivo é criar uma garrafa de papel que possa ser reciclada como qualquer outro tipo de papel. Este modelo é o primeiro passo para isso. Uma garrafa inteiramente feita de papel abre um mundo de possibilidades e estamos convencidos de que embalagens feitas com este material vão ter um papel importante no futuro".


Fonte: Coca Cola Portugal


Ambev


Fonte: Valor Investe - Globo

Por sua vez, a multinacional começou sua “luta verde” em 2018, anunciando que tinham como objetivo ter 100% dos seus produtos em embalagens retornáveis ou com mais de 50% de material reciclado em sua composição até 2025. Ano passado, em 2020, a empresa analisou a renovação de suas metas baseado no avanço até o momento. O resultado foi o anúncio de que o novo objetivo é chegar em 2025 com 100% das embalagens plásticas feitas de material reciclado.


Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de sustentabilidade e suprimentos da Ambev, afirmou que: “Nos últimos dois anos, geramos negócios da ordem de R $200 milhões na economia circular com a reciclagem de plástico. Quando chegarmos a 100% de plástico reciclado, vamos colocar na economia circular em torno de R $1 bilhão, sem contar investimentos em inovação e em novos materiais”.

Além disso, a Ambev também se comprometeu em diminuir ao máximo o gasto de plásticos desnecessários e lançou em 2019 a água AMA, que é comercializada em latas de alumínio.


Ações em conjunto


As duas marcas, ao lado de outras 10 empresas fazem parte do programa Reciclar pelo Brasil. Ele potencializa os investimentos em cooperativas de catadores no país, apoiando 233 associações e 5 mil cooperativas em 81 cidades brasileiras. Desde 2018, ano no qual a Ambev se juntou ao programa, já foram recolhidos 133 mil toneladas de plástico no país.


ACV


A Avaliação do Ciclo de Vida é um método criado para verificar o impacto de produtos no meio ambiente. Nela são analisados os efeitos ambientais ligados a todo o ciclo de vida do produto, desde a produção até o descarte.

Criada nos anos 70, a ACV existe desde que a Coca Cola precisou decidir entre opções de embalagens mais viáveis e adequadas para o meio ambiente, por isso a empresa encomendou um estudo da Midwest Research Institute (MRI) para fazer essa comparação.


Referências





13 visualizações0 comentário