Ecoturismo no Rio de Janeiro: Conhecendo o Jardim Botânico

Por: Vanessa Oliveira


O Ecoturismo ou turismo ecológico é de extrema importância no incentivo da conservação do patrimônio natural e cultural de uma região, por meio de sua utilização, além de auxiliar na formação de uma consciência ambientalista e no bem estar da população. Esta atividade promove um maior contato e vivência com ambientes naturais, prezando pela proteção e pela sustentabilidade, sem deixar de lado o desenvolvimento econômico.

Existem inúmeras atividades ecoturísticas e o Brasil consegue proporcionar muitas dessas experiências. Podem ser citadas como algumas delas: observações à fauna e à flora locais, visitas a formações geológicas, mergulho, trilhas florestais, arvorismo, canoagem, entre outras. O Rio de Janeiro, especificamente, possibilita a exploração dessas opções de diferentes maneiras, devido a sua pluralidade de recursos naturais - a cidade é repleta de praias, parques, florestas e cachoeiras.

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro traz como principais experiências a contemplação da natureza, através do contato direto com variadas espécies de vegetação nativas e exóticas e com animais típicos, além da facilidade para a prática de exercícios físicos ao ar livre. É uma das instituições brasileiras ligadas ao meio ambiente mais antigas - surgiu em 1808 pelo rei Dom João VI, com o objetivo de acomodar espécies vegetais e proporcionar estudos sobre a flora nacional - e mais belas e bem preservadas áreas verdes da cidade. A instituição funciona como um importante centro de pesquisa, além de, hoje, ser considerada como patrimônio nacional pelo IPHAN e reserva da biosfera da Mata Atlântica pela UNESCO.

Cerca de 6500 espécies, dentre elas algumas ameaçadas de extinção - o que é coordenado pela própria instituição -, estão distribuídas em uma área de 54 hectares, contendo estufas e espaços ao ar livre. Além disso, há a presença de diversos monumentos de valor histórico, artístico e arqueológico e uma vasta e completa biblioteca especializada em botânica.

O local é aberto a todo o público, de todas as idades, com horários e valor de ingresso pré-determinados. A exploração do espaço pode ser feita através de um “Guia de Visitação”, além do auxílio de guias credenciados ou, simplesmente, pelo passeio livre, pois a possibilidade de descoberta também é enriquecedora.

A ida ao Jardim Botânico pode ter diferentes objetivos e focos, devido a possibilidade de se fazer circuitos temáticos, como uma trilha histórica, com mais de 70 pontos de interesse, uma trilha focada somente nas árvores nobres ou nas espécies ameaçadas de extinção, uma trilha evolutiva, acompanhando a adaptação de diferentes plantas ao longo de milhões de anos, uma trilha amazônica, africana, indígena, ou, até mesmo, das artes. Esses roteiros podem variar conforme o interesse de cada um, sendo um destino para vários gostos e necessidades. Os pontos de visitação são diversos, e alguns deles poderão ser conferidos a seguir.


Aleia Barbosa Rodrigues

É a principal aléia do Jardim, tendo suas imponentes palmeiras-imperiais fazendo parte do cartão de visitas. O conjunto monumental integra-se com o portal proveniente da Academia Imperial de Belas Artes, de autoria do arquiteto Grandjean de Montigny.



Aleia Barbosa Rodrigues. Fonte: Wikipedia


Portal de Grandjean de Montigny. Fonte: Hoteis.com


Jardim Sensorial

É um espaço que proporciona contato físico das pessoas com as plantas, promovendo um diferente tipo de contemplação. As plantas presentes nesse jardim possuem diversas texturas e aromas, explorando sentidos humanos além da visão. Cada espécie é identificada por placas com escrita em braille, sendo acessível para deficientes visuais.


Parte do Jardim Sensorial. Fonte: Wikipedia


Bromeliário

É considerado o maior bromeliário do Rio de Janeiro, abrigando quase 2 mil exemplares em canteiros e na Estufa Roberto Burle Marx. Essas plantas são extremamente adaptáveis e podem ser encontradas na Amazônia, na Mata Atlântica, em restingas e caatingas.


Vista da fonte do Bromeliário. Fonte: Wikipedia


Orquidário As mais de 700 espécies de orquídeas e inúmeras plantas ornamentais, como antúrios, filodendros, avencas e samambaias, ficam abrigadas em uma estufa construída no século XIX. Essa diversidade oferece uma explosão de cores, texturas e os mais variados aromas.


Orquidário. Fonte: Wikipedia


Chafariz Central (Chafariz das Musas)

Esse chafariz localiza-se em um ponto central, no encontro das aléias, e destaca-se por sua beleza. É decorado com figuras de deusas gregas que representam a música, a poesia, a ciência e a arte. Além disso, o espaço possui uma vista privilegiada do Cristo Redentor.


Perspectiva do Chafariz das Musas com Cristo Redentor ao fundo. Fonte: Hoteis.com


Lago Frei Leandro

Esse lago é famoso pela presença das vitórias-régias, plantas aquáticas com folhas em formato de disco circular que podem chegar a 2 metros de diâmetro, e das ninfeias. Às suas margens, podem ser apreciados exemplares da “Árvore do Viajante”.


Lago Frei Leandro. Fonte: Viagem no detalhe


Gruta Karl Glasl

A gruta foi construída durante a gestão do professor de agronomia e diretor do Jardim Botânico, entre 1863 e 1883, Karl Glasl, com objetivo de acomodar espécies de plantas de ambientes úmidos, como samambaias, musgos e bromélias.


Gruta Karl Glasl. Fonte: Viagem no detalhe.



Além dos espaços e elementos citados, existem inúmeros outros que valem a nossa atenção. A ida ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro é considerada fundamental para quem se identifica com esse tipo de programa, e arrisca-se dizer que, os menos familiarizados também, com certeza, irão se encantar e se atrair por tudo que o patrimônio oferece. É um ponto turístico, sem dúvidas, bastante democrático e que merece ter uma manhã ou uma tarde reservada para desfrutar de seus recursos.



REFERÊNCIAS:


Viaje na Viagem. Mariana Amaral. Jardim Botânico do Rio de Janeiro: um dos melhores programas na cidade. Disponível em: https://www.viajenaviagem.com/jardim-botanico-do-rio-de-janeiro-dicas/. Acesso em: 13 de abril de 2022.


Hoteis.com. Jardim Botânico do Rio de Janeiro: Passeie pelas ladeiras de palmeiras imperiais nesse parque histórico. Disponível em: https://www.hoteis.com/go/brasil/jardim-botanico-rio-de-janeiro. Acesso em: 13 de abril de 2022.


Wikipedia. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jardim_Bot%C3%A2nico_do_Rio_de_Janeiro. Acesso em: 13 de abril de 2022.


Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.jbrj.gov.br/. Acesso em 13 de abril de 2022.


Viagem no detalhe. Camilla Ribeiro. 8 lugares imperdíveis para conhecer no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: https://www.viagemnodetalhe.com/2021/02/03/8-lugares-imperdiveis-para-conhecer-no-jardim-botanico-do-rio-de-janeiro/. Acesso em: 13 de abril de 2022.


O Eco. Dicionário Ambiental. O que é ecoturismo: Entenda este ramo do turismo que utiliza o contato com a natureza para promover a educação e a conservação ambiental. Disponível em: https://oeco.org.br/dicionario-ambiental/28936-o-que-e-ecoturismo/#. Acesso em: 13 de

abril de 2022.


Nattrip. Tudo o que você precisa saber sobre o ecoturismo no estado do Rio de Janeiro! Disponível em: https://www.nattrip.com.br/blog/o-ecoturismo-no-estado-do-rio-de-janeiro/. Acesso em: 13 de abril de 2022.


Freeway Viagens. Ecoturismo: O Que é, Práticas e Melhores Destinos do Brasil. Disponível em: https://freeway.tur.br/blog/ecoturismo#. Acesso em: 13 de abril de 2022.


5 visualizações0 comentário